• Dapes Investimentos

PIX: o que é e como funciona o novo sistema de pagamento instantâneo desenvolvido pelo Banco Central

Atualizado: 8 de set. de 2021


Quem já precisou realizar transferências bancárias ou pagamentos de boletos provavelmente conhece bem algumas restrições nos serviços. Por exemplo, transferir recursos entre contas diferentes só é possível em dias úteis.


Além disso, pagamentos realizados em boletos geralmente levam alguns dias até serem compensados.


Tal realidade pode mudar bastante com o surgimento de uma nova forma de transação no Brasil: o PIX.


Uma nova maneira de fazer transferências e pagamentos, instantânea e que funciona todos os dias do ano, anunciada pelo Banco Central.


O sistema começou a funcionar plenamente, em todas as instituições, no dia 16 de novembro e o cadastramento já está disponível para todos os cidadãos do país.


Veja a seguir como ele funciona!


O que é PIX?


PIX é o meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, 24 horas por dia, em todos os dias do ano, inclusive nos finais de semana e feriados. Promete mais praticidade, rapidez e segurança. O PIX pode ser realizado a partir de uma conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-paga.


Em poucas palavras, é um novo meio de pagamentos para fazer transferências sem esperar dias para que o pagamento “caia” na conta de quem recebe ou podendo ser realizado apenas em dias da semana, no horário comercial. Além de poder transferir dinheiro para outras pessoas, será possível também fazer pagamentos a estabelecimentos usando o PIX, por exemplo.


O PIX vai, portanto, facilitar e agilizar as transferências de valores entre pessoas, o pagamento de contas e até recolhimento de impostos e taxas de serviços, entre outras possibilidades.


Ele também permite fazer transferências digitando apenas o celular ou CPF da pessoa que vai receber o valor, eliminando a necessidade de digitar todos os dados da conta.


PIX, DOC e TED: quais as diferenças?


Hoje, existem as seguintes possibilidades para enviar dinheiro para pessoas com contas em outras instituições:


  • TED (Transferência Eletrônica Disponível): o dinheiro enviado a outra instituição será creditado na conta de destino até às 17 horas daquele mesmo dia; não existe valor mínimo a ser transferido e valores superiores a R$ 5 mil podem ser enviados;


  • DOC (Documento de Ordem de Crédito): o dinheiro cai na conta de destino no dia seguinte, mas pode levar mais de um dia útil caso a transferência seja feita após às 22h; além disso, o valor máximo que pode ser transferido por DOC é de R$ 4.999,99.


Tanto TED quanto DOC funcionam somente em dias úteis. Transferências feitas em finais de semana ou feriados nacionais, portanto, são completadas somente no dia útil seguinte, podendo levar dias para ser finalizada.


Em relação aos pagamentos, eles podem ser feitos por boletos ou, presencialmente, usando o cartão de débito. No caso do boleto, também existem restrições de dias para fazer o pagamento e também restrições de usos e, para quem o emite, existe um custo.

O PIX será uma alternativa a esses meios de pagamento já existentes e poderá ser feito pelo aplicativo de sua instituição – não é necessário baixar outro aplicativo ou se cadastrar para usar o PIX, basta sua instituição oferecê-lo.





Como funciona o Pix?


O PIX é uma função que vai aparecer no aplicativo de celular dos clientes de bancos, instituições financeiras e outras empresas de pagamento. Na hora de fechar uma transação - pagamento ou envio de dinheiro - basta escolher o PIX no aplicativo como forma de realizar a operação.


Os consumidores poderão usar o PIX para fazer transferências ou pagamentos entre pessoas físicas, entre empresas, entre pessoas e empresas, entre pessoas e governo e entre empresas e governo.

Essas transações podem acontecer de três maneiras principais:

a) Chaves PIX: com a chave cadastrada é possível fazer e receber transferências no novo sistema;

b) QR Code: ao escanear o código, que pode ser estático (gerado para uma única transação) ou dinâmico (gerado para múltiplas transações), o usuário consegue comprar produtos ou pagar contas (veja mais abaixo);

c) NFC (Near Field Communication): pagamentos poderão ser feitos por meio de tecnologias que permitam a troca de informações por aproximação. Essa opção, no entanto, não estará liberada logo no lançamento do sistema. Será um recurso desenvolvido posteriormente pelo BC em conjunto com as instituições financeiras.

Como fazer transações com o PIX?


O Banco Central regulamentou que as transações do PIX poderão ser feitas de diferentes formas:


  • Informando uma chave do PIX, que o usuário poderá adicionar a uma conta que já possui; essa chave pode ser o número de celular, e-mail, CPF ou CNPJ – será necessário informar somente um destes;


  • Informando os dados bancários de quem vai receber o pagamento, como se faz uma TED e DOC hoje – nome completo, CPF, número da instituição, agência e conta;


  • Ou também através da leitura de QR Codes.


O que são as chaves do PIX?


Na definição do Banco Central, as chaves do PIX são “‘apelidos’ utilizados para identificar a sua conta que representam o endereço da sua conta no PIX.


Em outras palavras, a chave do PIX é a informação que o usuário poderá usar para poder fazer um PIX a alguém – em vez de, por exemplo, informar o banco, CPF, nome completo, número da agência e da conta. Para enviar um PIX, basta informar uma das chaves do recebedor.


Registrar uma chave do PIX não é obrigatório, mas é recomendado para ter a melhor experiência com esse meio de pagamento.


Pessoas físicas podem registrar até cinco chaves do PIX por conta da qual seja titular; pessoas jurídicas, até 20 chaves, também por conta. Não existe um limite total de chaves que cada pessoa pode cadastrar.


Não é possível, entretanto, adicionar uma mesma chave em mais de uma conta. Por exemplo: se você adicionar seu CPF como chave do PIX em uma conta, não poderá adicioná-lo também em outra; será necessário fazer a portabilidade de chaves para mudar o vínculo para outra instituição.


Vale dizer: desde o dia 5 de outubro, os usuários já podem registrar suas chaves PIX nas instituições financeiras.


Quais as vantagens do PIX para o sistema bancário?


Segundo o Banco Central, as principais vantagens do PIX são:


  • As transações serão concluídas em menos de 10 segundos.

  • O PIX será gratuito para pessoas físicas, inclusive MEIs (microempreendedores individuais).

  • O serviço estará disponível 24 horas do dia, todos os dias, inclusive finais de semana.


Métodos de segurança


Com um novo método de pagamento chegando ao mercado, é natural surgirem dúvidas: PIX é seguro? Como se proteger de fraudes com o PIX? Quais cuidados tomar? Como manter a segurança dos dados?


Os cuidados que você deverá adotar na hora de realizar uma transação usando o PIX, deverão ser os mesmos que adota ao fazer qualquer transação financeira, portanto sempre confira os dados do “recebedor” da transação PIX (pagamento ou transferência), seja para uma pessoa ou um estabelecimento.


Veja a seguir, algumas dicas para aproveitar os benefícios do PIX de forma segura:


  • Não acesse links encaminhados por e-mails, postagens em mídias sociais ou SMS provenientes de pessoas e órgãos duvidosos. Sempre desconfie dos links que você recebe;


  • Confira antes o endereço do site em que você está inserindo os seus dados.


  • Se não quer correr riscos, faça o seu cadastro de sua chave PIX no ambiente seguro do seu banco, usando o Internet Banking ou Mobile Banking. Os aplicativos móveis devem ser instalados a partir das lojas oficiais da Apple (Apple Store) e do Google (Play Store);


  • Cuidado com os e-mails ou mensagens de WhatsApp sobre convites de pré-cadastro do PIX. Na dúvida, não passe nenhuma informação;


  • Cuidado com ligações de “supostos funcionários” de bancos oferecendo o cadastramento do PIX ou mesmo oferecendo um serviço de atualização via conexão remota com o argumento de atualizar ou fazer um teste. Na dúvida, desligue e entre em contato com seu Gerente;


  • Não faça transferência ou realize transações para supostamente fazer um teste na sua chave PIX – isso não existe!


Seguindo estas dicas, você manterá a segurança das suas chaves PIX e também dos seus dados, evitando fraudes e golpes que utilizem o novo método de pagamento.


Vale a pena ficar atento às atualizações do Banco Central do Brasil para saber mais sobre o lançamento do PIX.


Para acompanhar esses e outros conteúdos sobre investimentos acesse: www.dapesinvestimentos.com.br






SISTEMA DE PAGAMENTOS BRASILEIRO (SPB) PIX. Disponível em:<https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/pix>. Acesso em: 25 nov. 2020.


SABE O QUE É O PIX? CONHEÇA O NOVO SISTEMA DE PAGAMENTO INSTANTÂNEO. Disponível em:<https://www.btgpactualdigital.com/blog/financas/o-que-e-pix>. Acesso em: 25 nov. 2020.


ENTENDA O PIX. Disponível em:<https://www.infomoney.com.br/guias/pix/>. Acesso em: 25 nov.2020


O QUE É O PIX, O MEIO DE PAGAMENTOS INSTANTÂNEOS. Disponível em:<https://blog.nubank.com.br/o-que-e-pix/>. Acesso em: 25 nov.2020


#dapesinvestimentos #pix #doc #ted #bancocentral #pagamentosinstantaneos #transferenciasbancarias #transacoes


16 visualizações0 comentário